Gratidão: dá-se e recebe-se!

Receber este mail deixou-me profundamente sensibilizada e satisfeita! É bom receber este feedback de alguém que não conheço! Fiz um processo psicoterapêutico com uma amiga da pessoa que escreve o mail. Transcrevo, omitindo apenas os nomes e pequenos trechos.

Dear Doctor,

let me introduce myself: I am L, a guy of 34 years of the province of Milan, a friend of S., E.’s sister, and also a good friend of E.

 I heard from our mutual friend that these days you would have encountered and I have decided to write a letter, perhaps a bit unusual! Unusual because I don’t know you and you don’t know me; I told you my name but I don’t know yours; I’ve heard so much about you but probably we will never meet … and then why I decided to write you a letter,today, thousands of miles away?

I am writing because I’m used to recognize the qualities of clever people, because I respect expertise of a professional and first of all because I greatly admire good people.

(…) and I don’t think many people would write a letter of thanks because he would be ashamed or afraid of being misunderstood: I think I’m a different person from the media and I had no doubts in my sending you this token of esteem.

There were several months, or perhaps years, I have not heard E., when one evening in January, on Skype, we meet by chance and begin to talk.

E. told me about how being in your study, you did understand what were the things that really matter to her well-being, to focus on the pursuit of happiness, not to think about the opinions of others, to let go, to continue to paint and so on. Some people we meet have the power to make us better people or worse: apparently you were able to make E. a very happy person and more satisfied with herself, more serene, with a clearer mind.

E. has confessed me that she had never felt so good as in this period, although occasionally a few moments of anxiety, adding that much of the credit went especially to you: to me this is enough to ideally shake your hands, embrace you strongly and tell you THANK YOU for how you managed to flourish that beautiful flower that is our beloved E.

Best regards and thanks again!

YOU’RE THE MOURINHO PSYCOLOGIST!

Conhecer-se para se renovar

im

Curso de autoconhecimento com base na técnica do Eneagrama

 

O curso

É um convite a olhar para dentro de si e tomar consciência das suas ações e reações e, a partir daí, escolher o que quer ser e fazer. Tal consciência permite a compreensão das atitudes e dos comportamentos não apenas do próprio mas também dos outros.

Este caminho de autodescoberta e autocompreensão é realizado com base numa poderosa ferramenta de autoconhecimento, o eneagrama, sistema que define nove tipos de personalidade e que possibilita a identificação dos limites e das potencialidades de desenvolvimento pessoal e profissional.

O curso será orientado de forma reflexiva e participativa, recorrendo-se a metodologias de exposição participativa e de prática consciente, bem como a metodologias e técnicas ativas.

 

Os conteúdos

1ª sessão: quem sou eu?

2ª sessão: tipos de personalidade – construção psicológica e características

3ª sessão: tipos de personalidade: motivações básicas / tendências; crenças básicas

4ª sessão: importância da compreensão de si mesmo; leis da inteligência

5º sessão: instintos e centros de inteligência

6ª sessão: a relação entre os diferentes tipos de personalidade

7ª e 8ª sessões: a mudança.

 

Datas: às 4ªs. feiras – Início 7 de Maio (7, 14, 21 e 28/maio; 4, 11, 18 e 25/junho), das 18h30 às 21h00, no Porto

 

Preço total para inscrições (com pagamento de depósito) até 16 de Abril: €200; depois dessa data: €240

 

Inscrições: use por favor o formulário 

 

Para mais informações, contacte:

psicologia.www@gmail.com ou  228 321 098 / 912 530 064

 

Formadoras:

  • Conceição Viterbo, Doutorada em Psicologia Social, Licenciada em Psicologia, Pós-Graduada em Sexologia e Psicoterapia. Docente e formadora nas áreas do comportamento humano, em várias entidades públicas e privadas.
  • Eugénia Gonçalves, Licenciada em Filosofia, Mestre em Intervenção em Dificuldades de Aprendizagem e com formação avançada em Promoção da Saúde Mental em Contexto Escolar. Frequência de cursos e ações relacionados com o tema a abordar.

 

 

Da inconsciência para a consciência

O conhecimento que possuímos de nós mesmos é o que permite fazer a diferença, quer na relação que temos com os outros, quer na relação que mantemos connosco.

Já Socrates, o filósofo, dizia conhece-te a ti próprio! De facto, apenas a reflexão e a análise acerca dos nossos comportamentos, atitudes, pensamentos e crenças é que nos permite crescermos e transformarmo-nos naquilo que ambicionamos Ser.

Sabemos hoje, a partir da investigação que tem ocorrido ao nível da neurociência, que, um dos fatores que condiciona e molda todas as esferas da nossa vida, é o pensamento.

Todos os dias, na minha prática clínica, encontro pessoas que não se apercebem nem um pouco do que lhes vai perpassando pela mente. Sobretudo se são pessoas tendencialmente ansiosas, a mente é um lugar absolutamente desconhecido!

Uma das formas de potenciar o autoconhecimento e, consequentemente, de assumir uma escolhas – ao invés de reações e de todas as consequências que daí podem advir -, é passar a ter consciência do que pensamos. É como desenvolver um observador interno, que consciencializa os pensamentos que vamos tecendo. E as surpresas que se encontram!

Se quiser começar a promover esta consciência, inicie um registo diário de situações agradáveis e desagradáveis (pelo menos, uma de cada), bem como dos respetivos pensamentos e sentimentos.

É natural que, no início,  não tenha coisa alguma para registar … Persista!

E bom crescimento pessoal!